Histórico

O Sindicato dos Odontologistas de Minas Gerais, com sede no Município de Belo Horizonte, Estado de Minas Gerais, e base territorial em todos os Municípios de todo Estado, exceto no Município de Juiz de Fora, é constituído nos termos da legislação vigente, sendo representante de toda a categoria profissional e órgão de colaboração com os poderes públicos e as demais associações no sentido da representatividade profissional e da solidariedade social, tendo que atender às seguintes finalidades:

1. Representação legal da categoria dos Odontologistas em todos os Municípios; 

2. Visar melhorias nas condições de vida e de trabalho de seus representantes, coordenando, dirigindo e protegendo a base com estudos sobre suas necessidades, interesses e reivindicações imediatas e mediatas, econômicos, profissionais e sociais;

3. Prestar e exigir colaboração do Estado no estudo e solução dos problemas que se relacionam com a categoria representada e as condições sociais dos trabalhadores;

4. Colaborar com as demais associações e entidades de classe, visando a solidariedade social;

5. Defender a liberdade e a autonomia do movimento sindical, a consolidação do sistema confederativo enquanto instituições sociais e político-sindicais, e o fortalecimento da participação democrática dos trabalhadores em sua relação com outros setores da sociedade.

O Sindicato dos Odontologistas de Minas Gerais – SOMGE, foi fundado em 26 de julho de 1943, durante o Governo de Getúlio Vargas. Na ocasião, o Brasil vivia uma situação contraditória.
Juntamente com as forças aliadas, o país lutava na segunda guerra, em defesa da liberdade e da democracia, mas, internamente, o Estado exercia forte controle da economia e dos movimentos trabalhistas.

Embora o período fosse altamente político, o Sindicato dos Odontologistas era uma entidade mais associativa e congregava a categoria em prol do desenvolvimento técnico-científico da especialidade. Esta postura, inclusive, foi mantida durante o regime militar e só modificada em 1989, com a eleição de uma nova diretoria, da qual tenho o orgulho de ter sido presidente.

Desde então, as sucessivas diretorias vêm tentando resgatar a essência do movimento sindical em nossa entidade para que ela seja realmente um órgão reivindicativo e de defesa de classe. Esse trabalho, contudo, exige o despertar e o envolvimento dos colegas. Nesse sentido, lançamos essa campanha de sindicalização. Que juntos possamos construir o nosso sindicato.