• Comer cálcio na gravidez ajuda criança a ter dente saudável

    Cerca de 99% do cálcio do corpo está presente nos ossos e dentes. A formação dentária já se inicia na oitava semana de gestação e, por isso, é tão importante que a mãe tenha uma alimentação variada. No cardápio é preciso ter legumes, verduras e frutas, já que a absorção do cálcio depende de vários outros nutrientes, como vitamina D, magnésio, boro, vitamina K e complexo B.

    “Para uma ótima saúde óssea e dentária, são necessários cerca de 24 nutrientes para uma boa absorção de cálcio”, diz a nutricionista clínica funcional, Érica Moreira. Segundo a especialista, o cálcio é importante para diversas funções no organismo, como contração muscular, ação dos neurotransmissores, transmissão de impulsos nervosos, coagulação sanguínea e regulação dos batimentos cardíacos.

    Durante a gravidez, o corpo se prepara para absorver melhor o cálcio. Próximo ao quinto mês, ocorre um expressivo aumento da absorção intestinal, em torno de duas vezes mais que o início da gestação, promovendo o armazenamento materno para garantia da mãe e do bebê. Segundo as DRI (Dietary References Intakes, 2000) a recomendação de cálcio é de 1300mg/dia para gestantes menores de 18 anos e 1000mg para gestantes maiores de 18 anos.

    “É fundamental a ingestão de fontes de cálcio, principalmente de origem vegetal, como também é fundamental evitar os fatores antinutricionais que não deixam absorver o cálcio ou aumentam a sua excreção, como: grande quantidade de proteína de origem animal, excesso de gordura saturada, fosfatos (presentes em refrigerante), álcool, açúcar refinado, ácido oxálico (espinafre cru), fibras insolúveis e cafeína”, afirma a nutricionista.

    Na dieta das crianças
    Na amamentação, o bebê consegue suprir suas necessidades de cálcio por meio do leite materno. Já a dieta das crianças, segue a mesma regra dos adultos: variar bem as fontes nutricionais, colocando muitas cores no prato. “Claro, respeitando a correta introdução dos alimentos, introduzindo 1 alimento de cada vez e observando por 2 a 3 dias se não houve reação”, recomenda Érica.

    A introdução alimentar começa com papa de frutas (somente a fruta, sem água) pela manhã, após alguns dias a fruta à tarde, depois de duas semanas começa o almoço e, por último, o jantar. A papa deve conter pelo menos um alimento de cada grupo alimentar para fornecer os diferentes nutrientes que a criança necessita (os cereais, tubérculos e raízes, legumes, verduras, vegetais folhosos, as leguminosas e as carnes). “Variando diariamente os alimentos, a criança estará bem nutrida e não haverá necessidade de suplementação de cálcio, que é facilmente absorvido com legumes, verduras e frutas”.

    Fonte:saude.terra

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *